Marta Izo quer realizar pela terceira vez a travessia do Canal da Mancha

dezembro 05, 2018
admin

Mais uma vez Marta Izo irá se aventurar no desafio da travessia do Canal da Mancha. Pela terceira vez na carreira, a atleta, que recebe orientações da equipe da Pulse para nadar o desafio, irá enfrentar os 34 km entre a Inglaterra e a França. Porém, dessa vez será um pouco diferente. Marta irá nadar a prova de revezamento com mais cinco pessoas, todos seus alunos.

A atleta faz um acompanhamento com os profissionais da Pulse desde janeiro de 2016. A Dra. Ana Carolina Corte e o nutricionista Alan Nagaoka ajudam a atleta na sua preparação para a realização de diversas provas, entre elas o Canal, que é considerada uma das mais difíceis do mundo.

“Tenho consulta mensalmente com eles e sempre que eu preciso, conversamos por whatsapp e por telefone. Por enquanto apenas eu tenho o acompanhamento da Pulse, mas todos que irão fazer o Canal comigo tem interesse em começar as consultas também. Agradeço muito a ajuda dos profissionais que conseguem fazer com que eu vá ainda mais preparada para a prova”, disse Marta.

Ana Carolina, médica de Marta, comenta sobre os principais objetivos das consultas: “O objetivo é deixá-la na melhor forma física para treinar e assim, capacitá-la para prova. Isso engloba acompanhamento nutricional e também acompanhamento fisiológico e bioquímico do treinamento, garantindo o melhor resultado de performance. Cuidamos também da recuperação da atleta e prevenção de lesão e, isso se dá, mediante uma boa nutrição, qualidade do sono e controle da carga de treino”, disse a profissional da Pulse.

A competição funciona assim: cada atleta nada exatamente por uma hora na mesma ordem, não é possível trocar a ordem. Caso alguém passe mal, por exemplo, a equipe é desclassificada. Por isso a integração dos participantes é tão importante.

“Faremos o trecho de ida, Inglaterra para a França. Mesmo sendo minha terceira vez no Canal a ansiedade é muito grande. Fiz a prova sozinha em 2006 e em 2011 fiz com um revezamento de quatro mulheres, com direito a dois recordes mundiais, mas mesmo assim ainda fico bastante ansiosa”, afirma a atleta.

Sobre suas provas anteriores, a atleta completa: “Cada prova teve a sua peculiaridade, a que eu fiz sozinha foi bem difícil, pois foram 12h13 e 43km! A água estava bastante fria, com 17°. No revezamento, o difícil foi água a 14°C e nadar de noite, mas revezamento é muito bom. Eu adoro!”.

A demanda energética dos treinos de Marta, associada a demanda diária de uma profissional de educação física que dá aula e treinos, é alta e pode ser comparada a um atleta de alta performance. “Garantir a segurança para prática do exercício competitivo, conhecer os limites, entender as causas de dores, queixas clínicas, importância de uma boa recuperação e ainda saber se, laboratorialmente, o resultado do treinamento é satisfatório, são aspectos importantes que o Médico do Esporte é capaz de proporcionar à atleta”, finaliza a médica Ana Carolina.

João Rodolfo, Renato Garcia, Rafaella Dortas, Renato Takeyama, Catarina Porfirio e Marta esperam pela janela de 16 a 22 de setembro para a realização da prova. Como não há dia certo para a prova e ela depende das condições climáticas, os atletas ficam sabendo na noite anterior.

“Minha expectativa para a prova é completar um desafio, saindo da minha zona de conforto. O grande desafio desta prova vai ser a temperatura da água, muito mais que a distância. Completar este desafio com alguém com a experiência e conhecimento da Marta me deixam muito mais tranquila! Ela é excelente. Dá muitas dicas”, disse Rafaella Dortas, uma das integrantes do revezamento.